Cadastre seu e-mail para receber nossas mensagens.

incluir retirar

21/05/2011

Comunicação e Trânsito

Sinalização e significado 

 


Conhecer, entender e respeitar a sinalização de trânsito são ingredientes básicos para a harmonia da convivência na via pública. A interpretação equivocada dos sinais pode remeter não só ao seu descumprimento, mas a um comportamento perigoso, que coloca em risco os outros usuários da via. Por isto a sinalização obedece a padrões internacionais, adaptados à legislação de cada país. Como a linguagem, entretanto, comporta significados diferentes, a depender do contexto em que é utilizada, não é raro nos depararmos com situações pitorescas, como a da foto acima, em que os ocupantes do veículo pensam ter obedecido à placa de indicação.


Quando você cruza os braços, levanta a sobrancelha, escreve uma carta, balança as mãos, fala, gesticula está interagindo com o mundo e com os demais a sua volta, isso é se comunicar.

A comunicação é essencial para a convivência humana. O trânsito não foge a essa regra, é um ambiente, onde pequenas falhas na comunicação podem trazer grandes conseqüências. Na crônica abaixo ,exemplifico alguns erros de comunicação relacionados ao trânsito.

Trocadilhos
           
Maurício estava inconformado. Foi sempre um cidadão honesto e agora estava numa delegacia, sendo acusado de tráfico de drogas. Uma senhora havia feito a denúncia. Os policiais procuraram em seu carro e em sua casa. Porém, não acharam nenhuma droga.

A senhora que fez a denúncia foi chamada à delegacia para confirmar sua acusação na frente de Maurício. O delegado perguntou a ela:

- É esse o indivíduo que você diz ser traficante?

- Ele mesmo delegado. Escutei quando ele disse que trabalhava para melhorar o tráfico.

Maurício, ao ouvir, apesar de sua situação, não conseguiu segurar o riso. Soltou uma gargalhada.

- Está rindo do que, cidadão?

- Desculpe. Mas é muito engraçado. Esta senhora deve ter me ouvido falar que trabalho para melhorar o tráfego. Minha função é essa. Sou engenheiro de tráfego, delegado.

O delegado ficou furioso com a responsável pela acusação e pediu mil desculpas para Maurício.

Trocadilhos iguais a esse são comuns no nosso dia-a-dia. Alguns acontecem com tanta freqüência que muitas vezes nem percebemos. A troca de faixa por pista, por exemplo. Ouvimos a toda hora pessoas falando que mudaram de pista, que preferem andar na pista da esquerda ou da direita. Parece normal. Até porque muitos desconhecem as nomenclaturas usadas no trânsito.

No entanto, amigos leitores, existe um trocadilho que dói ao ouvi-lo. E olha que já ouvi de muitas pessoas instruídas. Inclusive em telejornais. Tenho lido este trocadilho também em crônicas e em artigos.

Outro dia, num artigo, ele estava na seguinte frase: “Os pedestres devem andar na passarela para não correr risco de vida”.

O que esse escritor quis dizer?

É recomendável andar na passarela? Ou não? Eu prefiro evitar o risco de morte.


TIPOS DE LINGUAGEM

Linguagem Verbal

Há várias formas de comunicação. Quando o código usado é a palavra, oral ou escrita, dizemos que está sendo utilizado a linguagem verbal. Tal código está presente, quando falamos com alguém, quando lemos, quando escrevemos.
 
Linguagem Não Verbal


A Linguagem Não Verbal é aquela que utiliza outros códigos de comunicação, que não são as palavras, como:  as placas e sinais de trânsito, a linguagem de sinais, a linguagem corporal, uma imagem, a expressão facial e outros. 

FUNÇÕES DA LINGUAGEM

O ser humano, ao viver em conjunto, utiliza vários códigos para representar seus pensamentos, sentimentos, desejos e ações.

Para haver comunicação, alguns elementos são essenciais:

Emissor: é o que envia uma mensagem, o remetente. Pode ser uma pessoa, uma empresa, um canal de televisão, um site na internet e outros.

Mensagem: o que é transmitido, o conteúdo.

Receptor: é o destinatário da mensagem, para quem a mensagem foi enviada. Pode ser uma pessoa ou um grupo.

Código: meio pelo qual a mensagem é transmitida: fala, escrita, gestos, imagens.

Canal:
meio pelo qual a mensagem pode circular: TV, internet, rádio, jornal, revista, folheto, folder e o próprio ar.

Contexto: é a situação na qual emissor e receptor estão inseridos.

Através desses pontos apresentados acima, a linguagem irá adquirir diversas funções: a de emocionar, informar, persuadir, fazer refletir, dentre outras.

1) Função Referencial ou Denotativa

Transmite informações reais, fatos e circunstâncias. É a linguagem característica das notícias de jornal, do discurso científico e de qualquer exposição de conceitos. Coloca em evidência o assunto ao qual a mensagem se refere.

No dia 11 de maio de 2011, foi lançada em vários países do mundo, A Década de Ações para a Segurança no Trânsito, 2011-2020, cujo objetivo é reduzir em 50% as vítimas da violência viária.

2) Função Expressiva ou Emotiva

Está focada no emissor, reflete seu estado de ânimo, seus sentimentos e emoções. Pode vir acompanhada de interjeições e de alguns sinais de pontuação, como as reticências e o ponto de exclamação.

A criança pedia aos prantos à mãe morta, caída no asfalto, atropelada por um motorista bêbado:
- Acorda mãe! Acorda! Vamos pra casa!

3) Função Apelativa ou Conativa

Seu objetivo é influenciar o receptor ou destinatário, com a intenção de convencê-lo de algo ou dar-lhe ordens. É comum o uso de vocativos e verbos no imperativo. É a linguagem usada nas propagandas, nos discursos e nos sermões.

Previna-se! Use o cinto de segurança nos bancos da frente e de trás do automóvel!

4) Função Poética

É aquela que põe em evidência a forma da mensagem. O escritor, procura fugir das formas habituais de expressão, buscando deixar mais bonito o seu texto. Embora seja própria da obra literária, a função poética não é exclusiva da poesia nem da literatura em geral, pois se encontra com frequência nas expressões cotidianas de valor metafórico e na publicidade. 

            Motorista obedeça
            Sempre a sinalização,
Para não perder o controle
Do seu carro e condução.

5) Função Fática

Focada no canal, tem por finalidade estabelecer, prolongar ou interromper a comunicação. Aparece geralmente em expressões que confirmam que alguém está ouvindo ou está sendo ouvido: sim, sem dúvida, claro, não é mesmo? entende? Ou nas fórmulas de cumprimento: Bom dia! Tudo bem?

6) Função Metalinguística

 Ocorre quando o emissor explica um código usando o próprio código. É um texto que comenta outro texto. As gramáticas e os dicionários são exemplos de metalinguagem.


           Sinalização de trânsito explicando a sinalização de trânsito.

Em um mesmo texto, ou campanha educativa de trânsito, podem aparecer várias funções da linguagem. Porém, geralmente há uma que é predominante.

Irene Rios

Um comentário:

  1. Adorei esse conteudo... Me ajudou bastante a entender a matéria ! bjos..

    ResponderExcluir